Álbum de Família, de Nelson Rodrigues

| 2 de Março de 2014 | 0 Comentários

Capa do Livro Album de Familia“Albúm de Família” trata dos universos particulares deturpados de seus vários personagens em detrimento da visão dos expectadores de fora do grupo familiar. A obra teve a particularidade de ficar censurada durante quarenta anos.

O livro todo é organizado em forma de peça sendo dividido em atos e no começo de cada ato a família é descrita pelo speaker, uma pessoa que apenas vê a família de fora.

Os personagens são Jonas, o patriarca, Dona Senhorinha, a esposa submissa, Tia Rute, uma solteirona desvairada, Glória, a filha mulher a quem Dona Senhorinha odeia, e por quem Jonas é apaixonado, Guilherme, que é visto como filho virtuoso, por estar estudando para padre, Nono, o filho maluco, Edmundo, o filho casado que despreza a esposa em função da paixão que nutre pela mãe, Heloísa, a esposa de Edmundo, a menina que está parindo, o fotógrafo, o speaker e Teresa, a amante de Glória.

Jonas é um patriarca familiar, tradicional que é apaixonado incestuosamente, pela filha Glória, a quem ele dedica uma admiração absurda, atribuindo a ela várias características de pureza angelical e odiando a própria esposa dona Senhorinha. Como forma de realizar seu desejo pela filha Jonas, alimenta uma perversão sexual de fazer sexo com meninas de 14 a 16 anos. O que é demonstrado desde a primeira cena quando no fundo há uma menina parindo um filho de Jonas.

Tia Rute é descrita por Guilherme como a alma danada da casa. Solteirona e invejosa, faz tudo para que a ira Dona Senhorinha, seja infeliz e admira Jonas de forma descabida e para ele arranja jovens entre 12 e 16 anos para que esse possa estuprar. Sente-se injustiçada pela beleza que foi dada a sua irmã quando jovem em contra- ponto com a sua feiura e admira Jonas por esse ter mantido relações sexuais com ela, enquanto bêbado.

Dona Senhorinha, que parece uma mãe dedicada e esposa submissa, vai se demonstrando como uma pessoa, com sérios problemas de personalidade. Ela ama os filhos homens extremamente, mas odeia Glória, sua única filha mulher. Traiu seu marido e agora aceita viver submissa a ele e a irmã, que a odeia.

Nono é o filho louco que uiva ao redor da casa durante toda a história. Ele nutria uma paixão pela mãe e ao manter relações sexuais com ela fica enlouquece.
Glória é a filha mulher que admira o pai Jonas porque vê nele a imagem de Jesus cristo. Quando Glória está em casa todos são cordatos e afáveis. Seu irmão Guilherme se castra na tentativa de protege-la do impulso sexual que sente por ela e que reprime intensamente. Ela vai encontrá-lo ao voltar do colégio de freiras, do qual foi expulsa por ter uma amante, Teresa. e ele acaba matando aos dois.

Guilherme é o filho que estava estudando para ser padre e que ao saber que a irmã foi expulsa do colégio se dispõe a largar tudo para tentar convence-la a fugir com ele. Guilherme na verdade é mau e atormentado por toda a história perturbadora da família.

Edmundo é o filho que é casado porém não consegue fazer sexo com a esposa em função da paixão que sente pela mãe e acaba se matando ao descobrir que essa traiu seu pai com seu irmão.

Heloíza é a esposa de Edmundo que comparece em seu velório apenas para confirmar que ele sempre foi apaixonado pela mãe e nunca viveu com ela como marido.

O spaeker é alguém que só vê a parte de fora da família e sempre tece elogios sobre as características da família, mostrando idéias completamente equivocadas em relação ao núcleo familiar.

O fotografo é quem tira as fotos no começo de cada ato.

O livro não tem uma linguagem pesada porém não é uma temática para se ler sem preparo ou visão crítica e pode desagradar a várias pessoas. É inquietante, irritante e enervante, mas tem o seu valor.

Nota: 4/5

Biografia: Nelson Rodrigues foi um jornalista e escritor brasileiro,1 e tido como o mais influente dramaturgo do Brasil.

Nascido no Recife, Pernambuco, mudou-se em 1916 para a cidade do Rio de Janeiro. Quando maior, trabalhou no jornal A Manhã, de propriedade de seu pai. Foi repórter policial durante longos anos, de onde acumulou uma vasta experiência para escrever suas peças a respeito da sociedade. Sua primeira peça foi A Mulher sem Pecado, que lhe deu os primeiros sinais de prestígio dentro do cenário teatral. O sucesso mesmo veio com Vestido de Noiva, que trazia, em matéria de teatro, uma renovação nunca vista nos palcos brasileiros.1 Com seus três planos simultâneos (realidade, memória e alucinação construíam a história da protagonista Alaíde), as inovações estéticas da peça iniciaram o processo de modernização do teatro brasileiro.2

A consagração se seguiria com vários outros sucessos, transformando-o no grande representante da literatura teatral do seu tempo, apesar de suas peças serem tachadas muitas vezes como obscenas e imorais. Em 1962, começou a escrever crônicas esportivas, deixando transparecer toda a sua paixão por futebol. Veio a falecer em 1980, no Rio de Janeiro.

VEJA TAMBÉM

A Culpa É Das Estrelas, de John Green "A Culpa É Das Estrelas" começa mostrando os pequenos detalhes da vida de uma garota, que tem um cancêr incurável, ela vive com os país e adora assistir programas de TV idiotas. E quem não gosta? Atualmente ela já terminou a escola e estuda em uma faculdade comunitária de sua cidade, mais para ter o...
The following two tabs change content below.

Audrei Bittencourt

Sou uma pessoa diferente, temperamental, com gênio muito forte, divertida e inteligente, gentil e amiga. Tenho paixão por livros desde a primeira série do fundamental e leio pelo menos um por semana. Meus estilos preferidos são romance, terror, mistério e suspense. Autora de "Normalidade" da coleção " A Ceifeira". Técnica Agrícola e Agropecuária, estudante de Ciência e Tecnologia dos Alimentos da UERGS, escritora nos blogs, Resenhas De Livros vinculado ao site Ler Livros Online e De Olho Em São Marcos e autora de “Normalidade” da série A Ceifeira.

Últimas Postagens de Audrei Bittencourt (Ver todas as publicações)

Quer receber nossas atualizações por e-mail?

Nós podemos ajudá-lo a escolher sua próxima leitura.

Categoria: Drama, Literatura Nacional

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *