A Caçadora – Sorriso de Vampiro, de Vivianne Fair

| 26 de janeiro de 2016 | 0 Comentários

“Acha mesmo que vida de vampiros e seus caçadores é um mar de rosas? Jéssica está prestes a descobrir que caçar vampiros vai além de arriscar o pobre pescoço. Você corre o risco de sofrer com outros perseguidores dele, enfrentar seu fã-clube, passar por adolescente e o que pode ser pior: se apaixonar, embora a única coisa que ele pense (será?) é que você pode se tornar o próximo jantar dele. É claro que o salário de uns caça-vampiros de sucesso até compensa, mas eles realmente têm que ser tão gatos assim que até dá dó de matar? E esse em particular, Zack, até que podia ser um pouco mais misterioso, além de bancar o Batman e sair assaltando bancos de sangue pra se divertir… Ou ele está só bancando o difícil como todo bom vampiro, mas de um jeito nada tradicional? Uma comédia de vampiros para mostrar que clichê ainda está em alta e não há nada melhor que sonhar acordada, embora você possa correr o incrível risco de rasgar sua roupa nova, quebrar seu salto de marca e tentar arrastar um cara misterioso para o altar – onde ele não pode pisar de jeito nenhum! Sorriso de vampiro é o primeiro volume da trilogia A Caçadora.”

A história é sobre Jéssica, uma mulher com quase trinta anos que trabalhava como secretária e, num dia qualquer, seus pais lhe disseram que eles eram caçadores de vampiros e que o Conselho havia dado uma missão pra ela. Depois de muita insistência dos pais – e uma breve citação sobre o salário dela -, Jéssica aceitou, mesmo achando que seus pais precisavam de uma terapia intensiva. E talvez ela mesma, um pouco mais tarde. Então ela partiu para uma Universidade na Pensilvânia ainda sem saber o que fazer direito. Sabia apenas que tinha que matar um vampiro chamado Eric, loiro, meio baixo, pálido, claro e etc. E que sentiria saudades de seu pônei.

Chegando lá, ela meio que conseguiu fazer amizade com três meninas otakus e o nerd Bobby – que só é relevante mesmo bem depois – e elas forneceram algumas informações sobre o Eric. Tais como o fato de não haver nenhum loiro, meio baixo e pálido chamado Eric. O único realmente pálido era Zack; alto, cabelo escuro e o cara mais gato e difícil da Universidade e o ídolo das otakus e de todas as outras meninas da Universidade.

Sobre o livro em geral: achei a Jéssica bem sem graça. Eu imagino que esse fora exatamente a ideia da autora. Mas ela ficou um pouco imatura para a idade, louca – ops! Excêntrica. Mas que direito tenho eu de falar sobre alguém que, de repente, virou caçadora de vampiros? Acho que se eu estivesse no lugar dela, seria a mesma coisa. Talvez um pouco mais chata.

Agora sobre o Zack, ele era meio o que se espera de um vampiro: misterioso, recatado e meio difícil de ler as expressões faciais. Mas ele bancava o engraçadinho e nunca negou o fato de ser vampiro, já que Jéssica já chegou nele o acusando. Gamei no cara. Como todas que já leram esse livro.

E tem as otakus. Muito fofas. Sério.

Crédito extra por ser um livro nacional. Descobri enquanto pesquisava sobre a autora. Realmente não esperava. Estou muito acostumada com os livros estrangeiros.

Vou ser sincera: no início eu pensei até em desistir. Mas não sou pessoa que desisti tão rápido de um livro. E me surpreendi.

Nota: 4/5

VEJA TAMBÉM

The following two tabs change content below.

Gabrielle

Gabi Gomes - amante de livros, da boa música e do bom café. Tímida, introvertida, introspectiva e derivados. Não, não sou antissocial, embora eu diga (só pra pararem de perguntar).

Últimas Postagens de Gabrielle (Ver todas as publicações)

Quer receber nossas atualizações por e-mail?

Nós podemos ajudá-lo a escolher sua próxima leitura.

Categoria: Adolescente, Literatura Juvenil

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *