A Insustentável Leveza do Ser, de Milan Kundera

| 25 de julho de 2017 | 2 Comentários

Capa do livro A Insustentável Leveza do SerEsse é aquele livro com um nome legal que você não faz ideia do que se trata, só sabe que todo mundo gosta e que vai te atingir e te fazer melhorar como pessoa. Bom, pelo menos é assim que eu via, já que nunca vi uma única alma falar mal dele. E sinceramente, acho que nunca verei.

Pra começar que sim, as pessoas estavam corretas quando disseram que esse livro é daqueles que estão na lista “top livros que mudaram a minha vida” e eu explico. Milan Kundera fez o que, na minha humilde opinião, deve ser feito em toda história: ele te apresenta uma teoria e a exemplifica, de modo que você se identifique ou não, mas entenda que ela existe e que acontece. Pois é, alguns diriam que ele é um daqueles que te confunde e você não sabe mais se é ficção ou ensaio.

Ficarei um pouco no raso. A Insustentável Leveza do Ser nos conta a história de quatro personagens: Thomas, um médico de renome; Tereza, com sua luta entre o corpo e a alma; Sabina, pintora revoltada (com a vida, tudo e todos); e Franz, o professor sonhador. Essa galerinha vai aprontar altas aventuras, já que Thomas é casado com Tereza mas é contra essa vida de monogamia e tem em sua mente a facilidade em separar amor e sexo (vai vendo). Por outro lado, temos Sabina que não admite ser presa a qualquer coisa que seja. Seria uma pena se Franz se apaixonasse por ela…

Apesar de dar bastante pano pra manga, é bem fácil resumir o livro assim, simples, bem água com açúcar. O diferencial é que Kundera utiliza esse cenário apenas para ilustrar alguns conflitos relacionados principalmente ao amor e relacionamentos com base filosófica. Aparecem desde Nietzsche com a teoria do eterno retorno até Édipo e o complexo que leva o seu nome.

Além dos personagens principais, alguns secundários assumem papéis importantes ao transmitir a mensagem. O filho de Thomas e a mãe de Tereza são exemplos disso. Até mesmo a cachorrinha Karenin recebe um capítulo pra ela (vale realmente a pena notar a importância que é dada a ela na questão sobre o que é realmente o amor).

Esse livro é bastante fácil de ser lido, apesar de todo o seu peso. Acredito que ele ajude o leitor a se entender melhor e a ver o mundo de forma pelo menos um pouco diferente. Super recomendo.

Nota: 5/5

Resenha feita por Almir Leandro

The following two tabs change content below.

Almir Leandro

Almir Leandro - 19 anos. Como não ser clichê falando sobre o quanto eu curto os livros? É, não tem como, então fica aí a imagem de amante dos livros por motivos de sinceramente como que não gosta de ler?! Enfim, escrevo resenhas, contos, crônicas, bilhetes, post-its, lista de supermercado e o que der na telha. Dilema atual diante das poucas 24 horas do dia: será que eu leio um livro ou ~compro uma goiaba~ assisto mais uma série?

Quer receber nossas atualizações por e-mail?

Nós podemos ajudá-lo a escolher sua próxima leitura.

Tags: ,

Categoria: Drama, Romance

Comentários (2)

Trackback URL | Comments RSS Feed

  1. Karen disse:

    Estou ansiosa pra ler! Assim que conseguir uma edição nova começarei. Tá lá wishlist

    • Almir Leandro disse:

      Tava na minha wishlist havia séculos, quando li fiquei me perguntando por que demorei tanto. Apesar de Kundera ter um estilo de narrativa tranquilíssimo, procure uma tradução boa e clara, isso vale pra qualquer livro estrangeiro (recomendo a versão que postei na foto do post).

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *