A Invenção de Hugo Cabret, de Brian Selznick

| 2 de agosto de 2017 | 0 Comentários

Capa do Livro A Invenção de Hugo Cabret, Edições SM

O livro conta a jornada de Hugo Cabret, um menino órfão que mora em uma estação de trem parisiense, nos anos 30. Seu trabalho se resume na manutenção do relógio de estação, porém a tarefa que lhe tem maior dedicação é completar a construção de um autômato uma espécie de robô à manivela ― dado pelo seu pai. Junto de sua mais nova e única amiga, Isabelle, sobrinha do rabugento vendedor de brinquedos, Hugo embarca em uma gigante aventura em busca de respostas para suas inúmeras perguntas.

O livro tem um desenvolvimento bem diferente dos livros “comuns”. Como é recheado de ilustrações, dá um ritmo diferente para a história: parece que estamos assistindo a um filme de papel. A história muito bela, trata de um assunto que interessa a muita gente: o cinema. Os personagens são muito carismáticos, e toda a trama e mistério que o autor propõe, são muito envolventes.

O que chama atenção antes mesmo do início leitura é o visual do livro. Muito bonito, colorido e simbólico. Brian Selznick , além de escrever, ilustrou toda a sua obra. E são essas mesmas ilustrações que constroem o grande clímax ao redor da leitura.

A Invenção de Hugo Cabret tem a impressão de infantil dada pelas gravuras, mas sua história é de gente grande, uma trama erguida com inteligência. Segundo o autor, sempre teve vontade de escrever sobre Méliés (ilustre ilusionista e pai da ficção-cientifica no cinema), mas foi só quando leu “Edison’s Eve: A Magical History of The Quest for Mechanical Life” de Gaby Wood, que isso aconteceu. O livro de Wood falava a respeito da coleção de autômatos do ilusionista, que teria sido ignorada em um sótão de museu e depois descartada. Brian imaginou um menino achando um desses robôs, dando assim vida a seu personagem Hugo.

Hugo Cabret tem uma linguagem simples, sempre se apoiando nas belíssimas imagens – tanto de Brian quanto do próprio Méliès – para criar o universo de Hugo e desenrolar sua história.

Uma leitura rápida, excelente e muito interessante – ainda mais se você é amante da história do cinema. Possui 534 páginas, lançado pela editora Edições SM e é escrito pelo autor Brian Selznick .

Se a história conquista pela sensibilidade e pela linda homenagem que presta ao cinema, a edição da SM faz um excelente trabalho ao apresentar uma narrativa entrecortada por páginas e mais páginas ilustradas a grafite. Mais do que reproduzir cenas, as imagens fazem a ponte entre um bloco de texto e outro, sendo fundamentais para o andamento da história. E as bordas negras dão a ideia de fotogramas. A forma perfeita de transportar a ilusão do cinema para o papel.

Pontuação – 5/5

VEJA TAMBÉM

As Moças De Missalonghi, de Colleen MacCullough Missy Writ é uma solteirona de 33 anos, que vive modestamente em Missalonghi, com a tia Otávia e a mãe Drussila Hulingford. Na cidade em que vivem próximo a Sidney na Austrália, quase todas as pessoas são membros do clã Hurllingford, sendo que todos herdam as riquezas passadas de seus antepassados....
Escola do Bem e do Mal, de Soman Chainani No povoado de Gavaldon, a cada quatro anos, dois adolescentes somem misteriosamente há mais de dois séculos. Os pais trancam e protegem seus filhos, apavorados com o possível sequestro, que acontece segundo uma antiga lenda: os jovens desaparecidos são levados para a Escola do Bem e do Mal, onde est...
The following two tabs change content below.

Felipe Barbosa

Eu sou o Felipe, sou daqueles alunos dos quais na aula de literatura, mal vê a hora do professor passar o clássico para a prova do próximo bimestre e o de língua portuguesa fazer um sarau. Sou apaixonado por ler e escrever; assistir vídeos literários no Youtube; cozinhar e passar a noite com Grey's Anatomy. A indecisão é infelizmente a minha alma gêmea. Atualmente vestibulando. Gosto de basicamente todos os gêneros, policial, drama, suspense, comédia, contos, mas sempre há aqueles especiais, os mais queridos, são eles: distopias e fantasias; Jogos Vorazes e Harry Potter são meus preferidos. Como autores, destaco J. K. Rowling (e Robert Galbraith), Suzanne Collins, J. R. R. Tolkien, James Joyce, Raphael Montes, Thalita Rebouças, John Green.

Últimas Postagens de Felipe Barbosa (Ver todas as publicações)

Quer receber nossas atualizações por e-mail?

Nós podemos ajudá-lo a escolher sua próxima leitura.

Categoria: Ficção, Literatura Infantil, Literatura Juvenil

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *