A Hora Mais Sombria [A Mediadora #4], de Meg Cabot

| 13 de julho de 2014 | 0 Comentários

Capa A Hora Mais Sombria Chegando ao 4° livro da série, Suze está de férias, mas não quer dizer que ela vá ficar curtindo o sol e descansando. A família Ackerman tem uma lei, ou você vai para um acampamento escolar no verão ou arranja um emprego. E foi o que Suze fez, arrumou um emprego como babá em um hotel da região, no mesmo lugar que Soneca trabalha de salva vidas.

Cuidar de crianças não é o emprego dos sonhos, Suze é requisitada pela mesma família todos os dias, o único problema é que o filho menor da família não gosta de sair do quarto, a única coisa que Jack quer fazer e ficar assistindo desenhos o dia todo e o irmão mais velho, Paul, vive paquerando Suze, porém ela não está muito interessada.

Cansada de ficar no quarto, Suze força o pequeno Jack a sair do quarto e tomar banho de piscina, mas quanto eles passam pelo jardim, o espírito do velho jardineiro da um “Olá”  para Suze e Jack sai correndo desesperado. É ai que o pequeno conta para Suze que ver gente morta o tempo todo e por isso ele não gosta de sair, pois tem medo de que elas a machuquem. Suze, como uma boa mediadora que é, ajuda o menino a entender mais sobre os mediadores o que eles tem que fazer. Jack é Suze viram bons amigos.

Na sua casa, a família está fazendo uma piscina no quintal e Suze acaba sendo visitada por Maria de Silva, a namorada de Jesse que o matou, ela diz a Suze que a construção deve parar ou algo de ruim vai acontecer com nossa mediadora e sua família. Suze sabe que Jesse está enterrado no quintal e Maria de Silva não quer que ninguém descubra que foi ela que matou o pobre Jesse, por isso ela passa a atormentar a casa com estranhos acontecimentos.

Quanto o esqueleto de Jesse é descoberto, o fantasma acaba sumindo, mas Maria e seu marido Diego não deixaram Suze em paz. Agora sem Jesse, Suze só vê uma solução. Ela tem que ir buscar Jesse no outro mundo.

Minha Opinião Sobre o Livro:

Eu gosto da Suze e sou apaixonada pela escrita da Meg, porém esse não foi um dos livros mais felizes da saga. Novamente Meg deixou de desenvolver os personagens secundários que são importantes na historia é a Suze me cansou um pouco com seu “sex appeal“, ela me cansou muito em vários capítulos.Ainda tem pontos na história de Jesse que eu senti falta da explicação, estou esperando que eles ainda sejam respondidos visto que tem mais 2 livros para ler e eu tenho minhas teorias, mas espero ser surpreendida.

Mesmo então quase certeza de que o Jesse vai fica com a Suze no final, eu gostaria que ela tivesse um relacionamento humano de verdade, porque nós 4 livros da saga tem alguém interessando na Suze é ela nunca deixa levar é isso e bem chato. Eu acho que existe mais coisas que a Suze poderia vivar mas a autora não permitiu. Sem perder sua essência, Suzannah cresce ainda mais como mediadora, ainda que eu tenha que admitir que tem se tornado um tanto quanto… Chata demais. Em diversos momentos a personagem me soa incrivelmente fútil e me deixa ligeiramente aborrecida.

Eu dividiria o livro em: começo legal, meio insuportável e final maravilhoso. Eu perdoo a Meg nesse livro só por causa do final que foi bem legal e me fez surtar um pouquinho, na verdade eu gostei bastante. Espero que nós próximos livros a Meg tenha tirado a chatice da Suze é feito ela crescer de verdade, sabe para de ter aqueles ataques de futilidade para que ela possa vira uma mediadora das grandes!

VEJA TAMBÉM

The following two tabs change content below.

Madlla Pereira

Desde criança eu era apaixonada por livros, sempre gostei de história e de viver conectada a mundos diferentes do meu. Hoje essa paixão de infância se tornou um vicio serio rsrsrs talvez um dia eu vá precisar de de tratamento mais vou passar meus conhecimentos a vocês. Também sou muito fã de series e filmes, principalmente ficção científica.

Últimas Postagens de Madlla Pereira (Ver todas as publicações)

Quer receber nossas atualizações por e-mail?

Nós podemos ajudá-lo a escolher sua próxima leitura.

Categoria: Fantasia, Ficção, Meg Cabot, Sobrenatural

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *