A vida imperfeita de Teca, de Maria Freitas

| 15 de outubro de 2018 | 0 Comentários

Autora: Maria Freitas

Editora: Plataforma do Wattpad

Sinopse: Tereza Carolina é uma vlogger de sucesso. Com 18 anos, a garota coleciona fãs e fiéis seguidores, mostrando sua vida de festas, riqueza e luxo. Mas nós vamos descobrir que nem tudo são flores para Teca, quando ela abrir as portas de sua vida para três fãs nem tão fiéis.

O que eu achei desse livro:

Oi gente, hoje lhes trago um livro um pouco diferente do âmbito geral do que podemos ver das minhas resenhas, mas antes de começar a falar sobre A vida imperfeita de Teca, devo lhes contar uma pequena história sobre como ele acabou aparecendo na minha tela: Esse livro me perseguia desde muito tempo atrás. Sempre acreditei que nunca precisaria encontrar um livro no Wattpad, pois o que fosse pra ser lido por mim apareceria para mim. Assim aconteceu com essa excelente obra de Maria Freitas (e entreguei o prêmio tão rápido e não devia estar fazendo isso). Mas continuando…

A vida imperfeita de Teca estava lá, como recomendação no canto da página, no final, nos lados, no início, praticamente relacionado a todo livro que eu leio no Wattpad. Eu não tinha começado a ler de cara. Tinha só o adicionado à biblioteca, pois estava priorizando aos livros que eu estava acompanhando desde o início do ano. Mas esses dias a autora disse que ia retirá-lo e minhas últimas duas madrugadas foram dedicadas a terminar esse livro antes que fosse tarde demais (olha o drama).

Agora podemos tratar do livro. A vida imperfeita de Teca trata sobre temas maiores que a história de uma youtuber. Sendo um livro de conteúdo adulto, ele trás cenas fortes relacionados à homofobia, racismo, distúrbios alimentares, divergências sociais, questões familiares, depressão e abuso de poder.

O trabalho desses temas foi muito bem elaborado, o que eu não via muito tempo e acredito ainda que nunca vi em nenhum livro da plataforma do Wattpad até hoje. Você não vê um personagem que simplesmente se tornou a representação desse tema e outro que está conectado a outro tema. Tudo está interligado. Você tem Tom, que sofre racismo e preconceito por conta das divergências sociais, com uma amiga que sofre pra sair do armário, tem problemas com a família e vive uma mentira que tem um namorado que a domina e sempre a convence.

No fim Maria Freitas não fez personagens. Ela fez pessoas reais que poderiam ser eu, você ou qualquer um. É assustador o talento da autora de nos conectar não com os personagens, mas com as pessoas que ela apresenta no livro. Resumindo, Maria Freitas não escreve personagens, ela escreve e descreve pessoas como qualquer uma, com problemas como qualquer uma.

A obra, como a autora explica no início, é cronológica com o tempo não linear, ou seja, os capítulos não estão na ordem dos acontecimentos, mas a autora coloca a data e, em alguns casos, o horário e no início do livro ela colocou as datas e seus respectivos capítulos. Eu preferi optar por ler na ordem dos capítulos como a autora havia deixado, mesmo sendo muito confuso em algumas partes, mas acreditando que havia um motivo para ser lida naquela sequência, me trazendo uma nova forma de ler e compreender a essência de seu livro.

Agora confessando uma coisa… Eu já sabia quem tinha morrido (orgulho das minhas conspirações.), então a minha visão do livro foi bem diferente. No início a autora já nos conta quem morreu mesmo, é tudo uma questão de detalhes, de você observar e se atentar aos detalhes. Então a curiosidade que assolou várias pessoas com q pergunta quem? e só ficava pensando na pergunta como?

Em meio a tanta coisa boa, temos um detalhe que pra mim não fez muito sentido (aqui pode haver revelações sobre o enredo): Quando a autora revela que Teca é lésbica a coisa meio que ficou muito forçada, a coisa ficou meio sem sentido. E a introdução da Bia como reforço de tudo isso não ajudou muito, só tentou terminar tudo isso bem clichê, um tanto desnecessário para uma trama já bem escrita e suficientemente complexa, mas eu acredito que para a autora aquilo foi necessário.

Condensando tudo, Maria Freitas nos trouxe uma trama real, com pessoas incríveis e histórias maravilhosas, se encaixando como um grande quebra –cabeças de peças minúsculas numa trama envolvente e um tanto perigosa para nossos corações. Acho que todos podem concordar que foi uma história sensacional.

Pontuação: 4,9/5

Maria Freitas é Jornalista, Compositora, Cantora, Social media, Whovian. é também autora de As Razões de Cris e Sempre Estive Aqui.

The following two tabs change content below.

Emily Damascena

Em meio ao caos, ao mundo, ao exército de problemas e complexidades essa garota lê. É bem improvável ela não estar lendo ou escrevendo, ou as duas coisas ao mesmo tempo. Divide o resto de seu tempo com Deus, livros, filmes, séries, cadernos, computador, cama, irmãs, trabalho e não perde uma oportunidade de fazer um belo bolo para a família.

Últimas Postagens de Emily Damascena (Ver todas as publicações)

Quer receber nossas atualizações por e-mail?

Nós podemos ajudá-lo a escolher sua próxima leitura.

Categoria: Adolescente, Drama, Ficção Adolescente, Literatura Juvenil, Literatura Nacional, Wattpad

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *