A Guerra dos Tronos [As Crônicas de Gelo e Fogo #1] , de George R. R. Martin

| 1 de julho de 2016 | 0 Comentários

O primeiro livro da aclamada série que caminhou para o mainstream do canal americano HBO foi publicado pelaAs cronicas de gelo e fogo 1
primeira vez em agosto de 1996. Escrito pelo já roteirista George R. R. Martin, a fantasia épica toma lugar em um mundo medieval o mais realista possível – isso dentro da premissa de que você encontrará magia, dragões e seres de gelo.  As mais de quinhentas páginas deste romance fazem valer a pena a ideia de uma ficção fantasiosa capaz de representar tão bem personagens tão humanos em um background com cavalaria, feitiços e isso tudo graças ao fato que, não importa seu tamanho, suas capacidades físicas, o quão grande ou pequena é sua honra ou ego, quando se joga o jogo dos tronos, ou você vence ou morre…

Nas primeiras páginas deste colosso da fantasia, os parágrafos super descritivos já esfregam na sua cara que este tem algo diferente. Algo a mais. Em um prólogo que estabelece o elemento de fantasia, realismo e a complexidade da história que vem à frente, o autor capta toda sua atenção aos mínimos detalhes porque tudo conta uma pequena história. Entre sombras que podem trazer lembranças antigas aos personagens, ou até alucinações, sonhos, que trazem nuances do que a personagem irá viver ou se tornar.

Nos capítulos seguintes, GRRM irá pegar um de seus personagens por vez e contar a história pelos olhos deste. Seja uma garota de nove anos, um lorde de uma importante Casa, uma mãe que procura cuidar de seus filhos, um anão, ou uma princesa exilada. Todas essas personagens são muito bem trabalhadas e vários de seus aspectos e facetas são estudados, no tempo necessário, pelo autor. A evolução de cada um é criada gradativamente, com pensamentos e narrações em off que somente o leitor tem o prazer de saber.

Um dos grandes trunfos de “A Guerra dos Tronos” é o tempo para desenvolver cada detalhe sem precisar contar com o restrito tempo de dez (10) horas como a série na televisão. Se Sansa Stark – filha de um lorde nortenho – precisa ser acreditada como uma boa bordadeira, serão utilizados dois ou três longos parágrafos para contar histórias antigas, sejam elas em seus capítulos ou no de sua irmã. Nas belas páginas amareladas do primeiro livro das Crônicas de Gelo e Fogo o que importa é a perfeição. Tudo poderia ser contado em frases:

“Bran, um menino de sete anos saía, de manhã, para assistir à decapitação de um homem com mais vinte homens…”

Mas a poetização das cenas é o que torna o saboreio de cada palavra mais importante do que descobrir o que acontece no fim.

“A manhã chegara límpida e fria, com um aspereza que sugeria o fim do verão. Partiram ao nascer do dia para assistir à decapitação de um homem, vinte ao todo, e Ban cavalgava com os outros…” (página 15/parágrafo 1)

E se grandes livros que tomam tempo para digerir assustam, este faz o tempo passar voando. Então quando abre-se a capa, pode esperar uma história que vale a pena se ler. Um livro com intrigas, romance, mistério e aventura. Este já foi muito comparado com “O Senhor dos Anéis”, mas acho que se Nárnia fosse para adultos, o mundo de Westeros era para onde dava o guarda-roupa.

Nota: 5/5


Outros livros das “Crônicas de Gelo e Fogo”

VEJA TAMBÉM

A Fúria dos Reis , de George R. R. Martin Com capítulos narrados entre a passagem de um cometa vermelho pelos céus, o livro lida com o desenrolar das tramas originadas a partir dos acontecimentos em Porto Real e em Essos no livro anterior
The following two tabs change content below.
Tenho 14 anos e a leitura vem evoluindo de uma Turma da Mônica, até um Harry Potter que virou A Guerra dos Tronos.

Quer receber nossas atualizações por e-mail?

Nós podemos ajudá-lo a escolher sua próxima leitura.

Tags:

Categoria: Drama, Fantasia, Ficção

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *