As Moças De Missalonghi, de Colleen MacCullough

| 13 de abril de 2014 | 1 Comentário

Capa As Mocas De MissalonghiMissy Writ é uma solteirona de 33 anos, que vive modestamente em Missalonghi, com a tia Otávia e a mãe Drussila Hulingford. Na cidade em que vivem próximo a Sidney na Austrália, quase todas as pessoas são membros do clã Hurllingford, sendo que todos herdam as riquezas passadas de seus antepassados.

Sir William 1°, foi quem havia instituído a política que ainda vigorava no lugar, que consistia em deixar dinheiro aos homens e lotes de terras, com casas mobiliadas para ajudar no começo da vida, para as mulheres, afastando assim caçadores de dotes. O que a princípio, parecia ser uma boa política acabou se revelando um mau negócio para as mulheres, quando, ao longo dos anos as casas construídas começaram a se tornar cada vez mais desleixadas e os lotes cada vez mais pequenos.

Drussila Hurllingford até havia feito um bom casamento, com o filho de um bancário de Sidney, mas após a morte desse o pai do rapaz assumiu que ela vinha de uma família rica e que seria ajudada pelos parentes, o que nunca aconteceu, sua irmã Otávia vendeu os terrenos que tinha por um valor abaixo do de mercado e nunca viu a cor do dinheiro e veio ajudá-la a criar Missy. Assim sendo os dias agora em Missalonghi eram sempre os mesmos as mulheres faziam delicados trabalhos em renda, costuravam, produziam ovos,frutas, nata e manteiga no seu pequeno sítio e vendiam sempre a um preço irrisório para o Maxwell Hurllingford e iam vivendo em meio a todo a exploração dos parentes.

Missy sempre se veste de marrom, é a única mulher morena no clã dos Hullingford e considerada solteirona desde antes de completar dez anos de idade, agora com 33 tinha como única distração ler romances, que deveriam ser proibidos para mulheres solteiras, longe das vistas de sua mãe e tia, desde que Una, chegara na cidade.

Una era a primeira mulher separada que Missy conhecia e sua atual melhor amiga, era ela que permitia que Missy retira-se romances da biblioteca e conversava com Missy nas raras vezes em que essa saía da Missalonghi.

O que Missy não sabia era que sua vida estava preste a virar do avesso com a chegada de um tal John Smith a Byron. Diferente de todos os homens que Missy conhece, John Smith é grosso por fora, mas tem um bom coração e é honesto. Ele ganha a inimizade de todos os Hurllingfords ao comprar um vale que existe no meio de Byron e que há tanto tempo tem estado lá que já é considerado como dos Hurllingfords como sendo deles mesmo sem estar em posse de ninguém.

Una então começa a tentar induzir Missy a prestar atenção em John Smith e emprestar a elas livros sobre mulheres heroínas e corajosas, que começam a despertar em Missy a vontade de mudar.

Nesse meio tempo a cidade inteira está se preparando para o casamento de sua prima Aulícia Hurllingford, uma criatura desprezível, com Sir Thomas, Hurllingford, muito mais novo que ela e herdeiro da firma que engarrafa água mineral em Byron.

Aurélia é má e orgulhosa e por diversas vezes humilha Missy, usando do fato de ter mais dinheiro, ela possui uma loja de chapéus na cidade e ações na Byron Company, sempre tentando passar a perna nas outras mulheres do clã.

Porém todos os Hurllingford ricos, começam a se preocupar quando um misterioso comprador começa a comprar todas as ações da Byron Company por um preço muito acima do de mercado.

Este é John Smith, que está atuando secretamente. Ex-marido de Una ele foi pisado e humilhado pelos Hurllingfords por ter um pai judeu e uma mãe negra na época em que ainda era casado com ela, mas agora com dinheiro pretende tomar posse do que os Hurllingfords mais amam.

Missy sem saber de nada disso e apaixonada por John, vai até um médico em Sidney junto a Una para verificar a saúde e em um arroubo de ousadia rouba um laudo médico de uma paciente com uma grave doença do coração. Dias mais tarde Una mostra a Missy como ela pode vender ações em nome de outra pessoa usando uma procuração e até serve de testemunha na assinatura dos papéis. Missy e Una vão a Sidney, vendem as ações e voltam para Byron com os bolsos cheios.

Inspirada em um romance que Una lhe emprestou Missy arma um plano para fazer com que John Smith se case com ela. Ela vai até o vale e lhe pede em casamento. Sendo rejeitada ela volta para casa e dorme ao lado de sua vaca, mas no outro dia volta novamente e contando a história sobre a doença do coração convence John Smith a se casar com ela.

No dia em que John e Missy se casam Alícia foge com o motorista da família e os Hurllingfords descobrem que a empresa já não lhes pertence mais e que o novo dono é na verdade John Smith, agora marido e Missy. A história termina com as mulheres de Missalonghi comprando em todas as lojas e andando alegremente pela cidade enquanto pensam em processar os parentes que tantas vezes as roubaram, nos dividendos das ações da fábrica. E Missy descobre que Una que tanto lhe ajudou, na verdade está morta a mais de vinte anos e era a ex-mulher de John Smith, que para com ele tinha um dívida e precisava se redimir.

Livro muito bem escrito, mesmo tendo sido de outra época contínua atual e seus personagens são atemporais podendo ser imaginados com clareza ainda nos dias de hoje. A autora usa de uma simplicidade impressionante para traçar cada personagem e dar uma narrativa detalhada da história que acaba tendo uma verossimilhança incrível. Indicado a mulheres de todas as idades e homens sensíveis.

Nota: 5/5

VEJA TAMBÉM

Dias Perfeitos, de Raphael Montes Dias perfeitos é um romance policial do jovem escritor brasileiro Raphael Montes, escritor também do livro O Vilarejo. Esse livro conta sobre uma louca paixão (ou seria louca obsessão?) que Téo começa a sentir por Clarice, uma menina eufórica e sincera.
Interligados: Aden Stone e a Batalha Contra as Som... Interligados: Aden Stone e a Batalha Contra as Sombras foi lançado no Brasil em 2010, pela editora Universo dos Livros. Este é o primeiro livro da série que apresenta Aden (Haden Stone), dezesseis anos e quatro almas humanas presas dentro de sua cabeça, além do longo histórico de instituições e trat...
Escola do Bem e do Mal, de Soman Chainani No povoado de Gavaldon, a cada quatro anos, dois adolescentes somem misteriosamente há mais de dois séculos. Os pais trancam e protegem seus filhos, apavorados com o possível sequestro, que acontece segundo uma antiga lenda: os jovens desaparecidos são levados para a Escola do Bem e do Mal, onde est...
The following two tabs change content below.

Audrei Bittencourt

Sou uma pessoa diferente, temperamental, com gênio muito forte, divertida e inteligente, gentil e amiga. Tenho paixão por livros desde a primeira série do fundamental e leio pelo menos um por semana. Meus estilos preferidos são romance, terror, mistério e suspense. Autora de "Normalidade" da coleção " A Ceifeira". Técnica Agrícola e Agropecuária, estudante de Ciência e Tecnologia dos Alimentos da UERGS, escritora nos blogs, Resenhas De Livros vinculado ao site Ler Livros Online e De Olho Em São Marcos e autora de “Normalidade” da série A Ceifeira.

Últimas Postagens de Audrei Bittencourt (Ver todas as publicações)

Quer receber nossas atualizações por e-mail?

Nós podemos ajudá-lo a escolher sua próxima leitura.

Categoria: Ficção, Romance

Comentários (1)

Trackback URL | Comments RSS Feed

  1. Lucianna disse:

    Estava a procura de uma resenha que me fizesse ler esse livro e achei a sua. Tão clara e cativante, não posso perder essa leitura!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *