Estranha Memória, de Roberto Fonseca

| 23 de agosto de 2014 | 0 Comentários

Capa Estranha Memoria“Estranha Memória” me surpreendeu positivamente. É um livro que prende a atenção e que definitivamente deveria ser mais valorizado pelos gaúchos, bem como o autor Roberto Fonseca. E é um exemplo de como nós brasileiros devemos ser menos propagandistas com os trabalhos estrangeiros. Este livro tem uma qualidade bastante boa, não decente boa mesmo.

Além de ser muito envolvente e ter um vocabulário propriamente regional o autor domina assuntos de várias áreas tanto artística como militar e até sobre família estrangeiras e configuração geográfica de Porto Alegre, onde a história se passa e isso dá uma qualidade de livro estrangeiro e a cara da gauchada. Não conhecia o autor Roberto Fonseca antes desse livro, mas devo dizer que passei a ser fã, já que não é todo o escritor brasileiro que tem qualidade gringa, apesar de que nem por isso nossos Paulos Coelhos, Marcelos Rubens Paivas e Robertos Fonsecas deixam de ter o seu valor.

A história trata de um jovem pintor que está tendo um sonho obsessivo em que se afoga em auto mar, depois de ter sofrido um naufrágio. Depois de muito pensar o pintor procura um psiquiatra que faz exames para verificar a qualidade do sono do rapaz e vê o exame dando um resultado impossível. Ao mesmo tempo esse rapaz começa a se envolver com uma moça negra cuja a mãe passou a ser uma estudiosa das religiões negras após o marido diplomata ter sido assassinado em Cuba. A mãe dessa garota que é amiga de um tal Gustavo homem muito rico, acaba sendo quem resolve o problema do jovem pintor, fazendo com ele uma regressão até sua vida passada quando ele morreu em um naufrágio em plena a segunda guerra mundial.

Sabendo que o sonho é na verdade a memória de um outra vida o pintor passa a se preocupar em investigar se esse fato é real. Quando seu avô ex militar e estudioso de medalhas artefatos e histórias de guerra leva até ele um documento onde constam tanto o nome dele e da mulher, como a descrição completa do naufrágio e a lista de desaparecidos ele se convence de que esteve mesmo no navio. Enquanto isso um história de espionagem se desenvolve paralelamente no livro, onde um grupo judeu espiona ex militares alemães da época da segunda guerra mundial e estranhos assassinatos acabam acontecendo. O jovem pintor conhece uma stripper chamada Mariana, quando vai a uma boate com seu amigo de infância Feio, agora delegado de policia. E todos os fios da história se entrelaçam de maneiras incríveis, que eu não vou contar. Leiam pessoal que é bom. Indico esse livro para todo mundo que é gaúcho, todos que gostam de leitura emocionante ou para quem já sonhou encontra no Brasil um livro com estilo gringo com ótima qualidade. É sério pessoal leiam.

OBs.: O livro é antigo, mas muito fácil de encontrar em qualquer livraria velha ou mesmo na internet. Eu comprei por RS 3,00 nas Casas Maria.

Biografia do autor: Roberto Fonseca é gaúcho, de Porto Alegre, há muitos anos radicado em Brasília. Eterno apaixonado pelas coisas do Rio Grande, tem seus livros caracterizados pelo acentuado regionalismo. Sua obra mais importante, História do Rio Grande do Sul para Jovens, já em quinta edição, teve como objetivo facilitar o conhecimento, suprimindo detalhes menos significativos e emprestando um tom coloquial à leitura. Agora, neste trabalho, busca uma simplificação ainda maior, que, aliada às ilustrações de quase todas as páginas, conduz a curiosidade do público jovem ao movimentado palco da história rio-grandense, ajudando a preservar e dar continuidade à nossa cultura e às tradições.

Outros Livros: HISTÓRIA DO RIO GRANDE DO SUL PARA JOVENS e Organizações e o Interesse Público, A Bela História do Rio Grande do Sul e A Porteira Do Tempo.

Nota: 5/5

Audrei Bittencourt Maciel, Técnica Agrícola e Agropecuária, estudante de Ciência e Tecnologia dos Alimentos da UERGS, escritora nos blogs, Resenhas De Livros vinculado ao site Ler Livros Online e De Olho Em São Marcos e autora da page Ensino Em São Marcos no Facebook. Autora de “Normalidade” da série A Ceifeira.

VEJA TAMBÉM

A mulher do viajante no tempo, de Audrey Niffenegg... Henry sofre de um distúrbio genético que o faz avançar ou retornar no tempo. Desde pequeno Henry aprendeu que nas suas viagens não poderia levar nada, nem mesmo roupas e teve que aprender a se adaptar aos diferentes momentos em que viajava no tempo, aprendendo truques como arrombar portas e roubar c...
O Último Beijo, de Cacá Adriane Jasmim é uma menina, como outra qualquer, que está passando pela adolescência. Ela tem que lidar com diversos problemas, como o fato de sua mãe ter falecido quando ela nasceu e seu pai nunca estar em casa. Porém, sua vida não é só tristeza. Ela tem uma amiga chamada Ana Paula que é aventureira e ado...
Memórias Sexuais no Opus Dei, de Antônio Carlos Br... "Memórias Sexuais No Opus Dei", apesar de muito esperado não recebeu o brilho que se aguardava no Brasil. O livro nada mais é do que a narrativa de como o jovem Antônio Carlos Brolezzi, foi atraído e posteriormente inserido dentro da "Obra de Deus." Provavelmente a temática, pesada também tratada de...
The following two tabs change content below.

Audrei Bittencourt

Sou uma pessoa diferente, temperamental, com gênio muito forte, divertida e inteligente, gentil e amiga. Tenho paixão por livros desde a primeira série do fundamental e leio pelo menos um por semana. Meus estilos preferidos são romance, terror, mistério e suspense. Autora de "Normalidade" da coleção " A Ceifeira". Técnica Agrícola e Agropecuária, estudante de Ciência e Tecnologia dos Alimentos da UERGS, escritora nos blogs, Resenhas De Livros vinculado ao site Ler Livros Online e De Olho Em São Marcos e autora de “Normalidade” da série A Ceifeira.

Últimas Postagens de Audrei Bittencourt (Ver todas as publicações)

Quer receber nossas atualizações por e-mail?

Nós podemos ajudá-lo a escolher sua próxima leitura.

Categoria: Ficção, Literatura de Misterio, Literatura Nacional

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *