O Dragão de Gelo, de George R. R. Martin

| 29 de abril de 2017 | 0 Comentários

 

capa“Ela nunca teve muita certeza se era o frio que trazia o dragão de gelo ou o dragão de gelo que trazia o frio”. Essa fantástica aventura  se passa num ambiente inspirado na Europa Medieval, e nos remete à pequena Adara e seu inusitado e misterioso  amigo, um imenso dragão de gelo.

Confesso que comprei esse livro por ser apaixonada pelas outras obras do Martin e também por amar contos sobre  essa criatura mitológica. E no fim das contas, me senti agraciada por lê-lo.

Adara é diferente das outras crianças; ela não chora nem sorri, é calada e sua pele é fria como gelo. Ela vive com sua irmã e seu irmão, Teri e Geoff, e seu pai, John, um simplório fazendeiro. De vez em quando, eles são visitados pelo irmão do pai, Hal, que viaja no dorso de um dragão e serve como soldado ao reino.

Sua família foi abalada pela morte da mãe, que não resistiu ao dar a luz à Adara. A partir daí surgiram boatos sobre a recém-nascida, dizendo que ela teria sido tocada pelo frio. Alguns anos se passam, e eles aprendem a conviver com a dor. É cativante o modo como John se esforça para cuidar das crianças e como as ama, mesmo sendo a caçula tão fria, calada e distante.

O dragão é especial. Não é voraz assassino como os dragões são comumente representados, mas sim uma criatura misteriosa, delicada e cuidadosa.  Creio que um diferencial da obra foi retratá-lo de maneira tão incomum. Voltando todos os anos, a criatura parece ter existido desde sempre, sem uma origem ou lar conhecidos.  Ao que parece ele sempre retorna por Adara, e nada mais. Ele parece realmente se preocupar com ela. Os dois parecem se complementar, ambos frios, solitários.

Um fato curioso é que muito se especula entre os fãs das obras do Martin de que essa história se passa no mesmo ambiente de “As crônicas de gelo e fogo”, porém alguns séculos antes da história original  em que é baseada a série “Game Of Thrones”.  No entanto nada foi confirmado pelo autor.

O livro é enriquecido com belas ilustrações do artista espanhol, Luis Royo. Embora seja um livro curto, essa é uma aventura curta e fascinante. Não há um público definido, portanto pode ser lida por crianças até idosos, enfim qualquer pessoa que queira viver uma aventura emocionante nas costas de um dragão de gelo.

Nota: 5/5

Escrito por Nathália Gomes

VEJA TAMBÉM

Reunião , de Meg Cabot Suzannah é uma adolescente como outra qualquer. Bem, quase...Ela tem um pequeno segredo: é uma mediadora. Fala com fantasmas e os ajuda a descansar em paz. Um dom um tanto incomum para ser divido com os colegas, irmãos e até mesmo com a mãe. Mas de uma pessoa Suzannah não conseguirá esconder seu seg...
A Joia , de Amy Ewing Depois de alguns anos adiando a leitura desse livro que me prometia tanto, eis que finalmente tomei vergonha na cara e li. E gostei. Mas não muito. Só que bastante. Confuso? Deixe-me explicar.
A Rainha Vermelha, de Victoria Aveyard A história se passa em uma nova era, onde a sociedade é dividida entre dois grupos: os vermelhos e os prateados. Essa divisão é feita a partir da cor do sangue de cada individuo (que correspondem as duas cores já citadas), sendo os vermelhos plebeus e humildes. Eles vivem basicamente para servir aos...
The following two tabs change content below.

Nathália Gomes

Sou apaixonada pela leitura graças à minha mãe e à Pequena Sereia. Corvinal com orgulho, mesmo sem minha cartinha de Hogwarts. Durante meus momentos de leitura não dispenso uma boa xícara de café e uma playlist de músicas coreanas. Além disso amo tirar fotos, desenhar, botar o pé na estrada, ver animes, ler mangás, e, claro escrever.

Últimas Postagens de Nathália Gomes (Ver todas as publicações)

Quer receber nossas atualizações por e-mail?

Nós podemos ajudá-lo a escolher sua próxima leitura.

Categoria: Fantasia, George R. R. Martin, George R. R. Martin, Literatura Fantástica

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *