O estranho caso do Yoda de Origami, de Tom Angleberger

| 2 de fevereiro de 2018 | 0 Comentários

Autor: Tom Angleberger

Editora: Sextante

Páginas: 160

Sinopse: 

DOUG É UM GAROTO MUITO, MUITO ESTRANHO.

Ele sempre faz coisas esquisitas, como usar a mesma camiseta durante um mês, dançar feito maluco e se deitar no chão da biblioteca. Isso é constrangedor, principalmente para Tommy, que passa o recreio com ele todos os dias.

Por outro lado, Doug faz uma coisa muito legal: origamis. Um belo dia, ele cria um dedoche de origami do Yoda, o sábio personagem da saga Guerra nas estrelas. E aí tem início um grande mistério.

O Yoda de Origami prevê o futuro e sempre sabe como lidar com uma situação difícil. Seus conselhos funcionam mesmo e logo a maioria dos alunos da escola está fazendo fila em busca de soluções para seus problemas.

Tommy não entende como o Yoda de Origami pode ser tão sagaz se o Doug é tão sem noção. Será que o Yoda está usando a Força? Tommy precisa resolver esse mistério antes de aceitar seu conselho sobre uma garota.

Este é o relatório que Tommy preparou ao investigar O estranho caso do Yoda de Origami. Para torná-lo imparcial, ele incluiu os comentários de Herbert, um colega que nunca acreditou no Yoda de Origami. Também pediu a opinião de Kevin, que só fez uns rabiscos em volta do texto. Veja como ficou!

O que eu achei desse livro:

É só mais um!

Caras pessoas que estão acostumadas a encontrar nas minhas resenhas livros adolescentes, hoje me perdoem pois essa é uma daquelas vezes que temos aquela vontade de ler um livro infantil por causa da capa ou do título. Se você é uma daquelas pessoas que curte livros do estilo que eu geralmente resenho não espere algo que tenha muita idade mental (Os personagens são garotos semi Geek’s do sexto ano, então já sabe, né?).

Fãs de Star Wars também não devem procurar muita coisa do filme nesse livro. São poucas coisas que o livro tem relacionado a Star Wars além do próprio Yoda e a sua forma de falar.

Agora quanto ao final posso dizer que não há clichê e mais infantil que isso, sinto muito amantes dos clichês mas nós somos inimigos (Só não levem pro lado pessoal). Mesmo que não soubéssemos (Sim, pois minha irmã leu junto comigo) o que ia acontecer quando lemos o final se mostrou o que todo mundo esperava. Não foi surpreendente em algumas coisas e em outras foi bem impactante. Pode ter terminado fofo e em clichê, mas ainda foi original.

E nem tudo pode ser de todo ruim. Existem pontos positivos nesse livro como a capa – Que é bem bonitinha, com um Yoda de origami -, as ilustrações interiores – dando um ar divertido, pois elas são muito engraçadas e ilustram bem as cenas, mesmo que sejam pequenas e feitas nas bordas do papel -, e as marcas d’água que representam papel amassado, ainda que não tenha muito sentido na página seguinte, tipo, como se não fosse o mesmo papel amassado na página seguinte.

É um livro legal, mas é só mais um. Não tem muito o que falar sobre ele. São pequenas crônicas / relatos criados por um garoto chamado por um nome que eu não lembro que quer descobrir se uma garota gosta dele com base em conselhos dados por um origami. é bem interessante vendo pela sinopse.

Dessa vez como meu personagem favorito temos o pirado do Doug. Não há outra palavra que torne o Doug menos pirado do que ele é. Doug tem ações estranhas como se nem fosse do nosso planeta comendo porcarias, gritando por aí e sempre (Eu já disse sempre?) sempre andando com o seu Yoda no dedo. Acho pelo Doug ser um garoto estranho e bizarro foi a maior motivação para gostar dele. E lembrem-se: A palavra final é Twist.

P. S.: No final nós temos a oportunidade de aprender a criar os nossos próprios Yodas de Origami. Fiquei tão triste com o final que nem tentei, mas minha irmã fez o dela e saiu igualzinho.

Pontuação 2/5

“Escrever este livro você deve”, disse o Yoda a Tom Angleberger. Muito antes de ele seguir o conselho do Yoda, Tom candidatou-se a um emprego como desenhista em um jornal, mas por engano lhe deram um cargo de redator. Quinze anos depois, ele ainda está lá, atualmente como colunista do Roanoke Times, em Roanoke, na Virgínia, Estados Unidos. Ele mora em Christianburg, Virgínia, com a mulher. Visite seu site: www.origamiyoda.com.

The following two tabs change content below.

Emily Damascena

Em meio ao caos, ao mundo, ao exército de problemas e complexidades essa garota lê. É bem improvável ela não estar lendo ou escrevendo, ou as duas coisas ao mesmo tempo. Divide o resto de seu tempo com Deus, livros, filmes, séries, cadernos, computador, cama, irmãs, trabalho e não perde uma oportunidade de fazer um belo bolo para a família.

Últimas Postagens de Emily Damascena (Ver todas as publicações)

Quer receber nossas atualizações por e-mail?

Nós podemos ajudá-lo a escolher sua próxima leitura.

Categoria: +Autor, Adolescente, Crônicas, Fantasia, Ficção, Literatura Infantil

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *