A Rainha Vermelha, de Victoria Aveyard

| 19 de janeiro de 2016 | 0 Comentários

''''''“Mare rouba o que pode para ajudar sua família a sobreviver e não tem esperanças de escapar do vilarejo miserável onde mora. Entretanto, numa reviravolta do destino, ela consegue um emprego no palácio real, onde, em frente ao rei e a toda a nobreza, descobre que tem um poder misterioso… Mas como isso seria possível, se seu sangue é vermelho?” Essa é uma parte da sinopse da obra de ficção A Rainha Vermelha (Titulo original: Red Queen), de Victoria Aveyard. Foi publicado pela Editora Seguinte, no ano passado (2015).

A história se passa em uma nova era, onde a sociedade é dividida entre dois grupos: os vermelhos e os prateados. Essa divisão é feita a partir da cor do sangue de cada individuo (que correspondem as duas cores já citadas), sendo os vermelhos plebeus e humildes. Eles vivem basicamente para servir aos prateados que, por sua vez, são a nobreza e quase Divindades. Os prateados possuem poderes sobrenaturais e, por isso, consideram-se superiores. Porém, quando uma vermelha apresenta habilidade semelhante ao de um prateado, inicia-se uma teia de mentiras por sua sobrevivência, uma revolução vermelha e um jogo pela posse do trono.

Narrado em primeira pessoa, o livro possui 449 páginas e 28 capítulos, e é o primeiro livro do que promete ser uma triologia fantástica, que envolverá o desenrolar de uma revolução e personagens surpreendentes.

Como personagem principal, a história apresenta uma corajosa garota vermelha, Mare; dois príncipes com personalidades distintas, Cal e Maven e uma Rainha vaidosa, Elara.

Esse livro possui uma história envolvente e eletrizante. Embora seja uma obra indicada para literatura juvenil, possui desfechos surpreendentes e trágicos que agradarão outros públicos também. Uma pena que terei que aguardar o lançamento do segundo volume para saber o destino de meus já amados personagens.

Foi a primeira obra de Victoria Aveyard que eu li, mas certamente não será a última. Frequentou a Universidade do Sul da California, e se formou como roteirista. A Rainha Vermelha foi a primeira obra (e acredito que a única até então) que Aveyard escreveu após sua formatura. Para quem gosta de ficção e fantasia, esse livro certamente será um acerto. Como costume no Blog, devo dar uma nota de 1 (odiei) a 5 (amei). Por isso, minha nota é 4,5

VEJA TAMBÉM

O Doador de Memórias, de Lois Lowry Em uma sociedade altamente organizada e planejada, Jonas, um jovem rapaz, chega finalmente à idade de exercer uma função. E, mesmo sem ter ideia de qual papel exerceria, para sua surpresa, ele é escolhido para algo que até então era desconhecido por ele, ele se torna um Recebedor de memórias da époc...
O Sobrinho do Mago , de C. S. Lewis A aventura começa quando Digory e Polly vão parar no gabinete secreto do excêntrico tio André. Ludibriada por ele, Polly toca o anel mágico e desaparece. Digory, aterrorizado, decide partir imediatamente em busca da amiga no Outro Mundo. Lá ele encontra Polly e, juntos, ouvem Aslam cantar sua canção...
The following two tabs change content below.

Anne Schroder

Apaixonada por livros, música e pintura. Essa sou eu! No blog Resenhas de Livros, contribuirei com resenhas dos livros lidos por mim. Entre os estilos, podem esperar por ficção cientifica, fantasia e romance. Não sou crítica, se o livro tiver uma história excelente eu vou amar!

Últimas Postagens de Anne Schroder (Ver todas as publicações)

Quer receber nossas atualizações por e-mail?

Nós podemos ajudá-lo a escolher sua próxima leitura.

Categoria: Fantasia, Ficção, Literatura Juvenil, Victoria Averyard

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *