Roubada, de Lesley Pearse

| 10 de janeiro de 2016 | 0 Comentários

Roubada, de Lesley Pearse “Com um final surpreendente e uma história capaz de prender o leitor até o ultimo momento, roubada é um livro cheio de suspenses e reviravoltas que fazem valer à pena cada página avançada, esta foi a primeira obra de Lesley Pearse que tive o prazer de ler e posso dizer por gosto pessoal que a autora não decepcionou.”

Tudo começa em uma bela manhã de maio, quando David passeia pela orla da praia de  Selsey acompanhado do cão do seu vizinho. Durante a caminhada o cão encontra à beira da praia um embrulho esquisito muito semelhante a um corpo humano e o comportamento do cão atrai a atenção de David,que se assusta ao perceber que o “embrulho” trata-se de uma mulher significantemente jovem e que felizmente ainda está com vida. A partir deste ponto, a foto da garota identificada como Lotte Wainright é publicada em todos os jornais possíveis na tentativa de localizar algum paradeiro que possa ajudar a resolver o caso da moça, já que com os traumas sofridos ela não recorda-se do que pode ter acontecido a ela ou quem poderia tê-la feito passar por isto.

Durante a exibição de um dos telejornais , o caso de Lotte é divulgado mais uma vez e a esteticista Dale parece ser  um alguém capaz de fornecer pistas cabíveis para os detetives envolvidos no caso. Lotte e Dale conheceram-se enquanto trabalhavam em um navio de cruzeiro e desenvolveram um forte laço de amizade e cuidado uma com a outra , após o fim do tempo trabalhando juntas no cruzeiro, Dale,Lotte e mais alguns amigos trocam telefones e fazem planos para que não deixem de se ver mesmo estando longe , no entanto, Lotte desaparece misteriosamente da vista dos seus amigos e nenhum deles consegue estabelecer contato com ela, Dale lembra-se de Lotte tê-la dito que iria voltar para a casa dos seus pais, mas Dale sabia que a relação que Lotte mantinha com os pais não era uma das melhores e sabe que a unica relação próxima a um amor familiar que Lotte encontrou, foi com um suspeito casal religioso e endinheirado que ela havia conhecido durante o cruzeiro após eles a terem salvado de uma tentativa de estupro. O aparecimento trágico e repentino de Lotte, mexe com Dale, que esforça-se para ajudar a sua amiga a recordar-se de tudo o que viveu ou de quem poderia tê-la feito tanto mal e à cada capítulo avançado , as memórias expressas por Lotte são surpreendentes, deixando o leitor sedento pelo desfecho da estória que torna-se cada vez mais complexa e avassaladora.

Para piorar a situação, os médicos descobrem que Lotte sofreu um parto recentemente e ela não consegue ao menos lembrar-se do período de gestação presente em sua vida ou se ela de fato existiu. Em uma noite, um invasor aparece no quarto de Lotte no hospital e tenta dar um fim à garota que poderia de fato ter morrido se não fosse por David, o mesmo rapaz que a encontrou na praia. Com um bebê desaparecido,um assassino à sua espreita e nenhuma recordação de si própria,Lotte precisa lutar contra os seus medos e fraquezas para solucionar o caso e conseguir ter a sua vida de volta.

Roubada foi uma estória que me estagnou até a ultima página do livro, com fatos inovadores e personagens apaixonantes,pode vir a ser um dos livros preferidos de pessoas que curtam o gênero e sintam-se conquistados pelo gosto de “quero mais” que sem dúvidas, Lesley não deixou faltar.   E a nota não poderia ser outra : 5/5.

VEJA TAMBÉM

Notívago, de Maurício Coelho Contos que muitas vezes já ouvimos alguém contar: um vizinho, um primo, um tio distante ou mesmo um amigo, mais que por algum motivo não nos chama a atenção, exceto nessa leitura que nos deixa com um gostinho de quero mais.
O jantar, de Herman Koch Numa noite de verão em Amsterdã dois casais se encontram em um elegante restaurante, ao longo dos caros pratos vão mantendo a pose e conversando sobre trivialidades, como trabalho e férias. Conforme o jantar se estende o clima fica cada vez mais tenso e aos poucos o verdadeiro motivo do encontro apa...
The following two tabs change content below.

Monky

Só eu acho que essa de : "Me chamo Ingrid,tenho 18 anos e..." é meio narcóticos anônimos? Mas enfim, é isso aí mesmo ! Sou apaixonada pela leitura e pela escrita,então aqui estou eu: Leitora por vida , escritora amadora de estórias "mixurucas" apenas por amor ( autora do livro "síndrome" no wattpad) e apaixonada por coxinha. Bom, já sabe o que fazer se precisar de um ajudinha na redação um dia não é ?! Sejam bem vindos !

Últimas Postagens de Monky (Ver todas as publicações)

Quer receber nossas atualizações por e-mail?

Nós podemos ajudá-lo a escolher sua próxima leitura.

Categoria: Uncategorized

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *