Um Assassinato, Um Mistério e Um Casamento, de Mark Twain

| 4 de novembro de 2016 | 0 Comentários

um-assassinato-um-mistrio-e-um-casamento-1-638

 

Como já se diz no título este livro é um clássico envolvente, que esconde o mistério de um assassinato que determinará o futuro de um casamento. Onde com uma pitada de suspense, só descobriremos a verdade sobre a história, após ler atenciosamente cada capítulo.

O enredo se passa em um vilarejo a sudoeste do estado de Missouri, onde vivem o fazendeiro John Gray, sua esposa Sally Gray, e seus filhos Mary e o caçula Tommy (ou Tom). Mary possuía um relacionamento com Hugh Gregory, que bem afortunado, era um bom pretendente aos olhos de John e mais ainda aos olhos de Mary, e por relacionamento digo que Hugh estava disposto e decidido a pedir a mão da jovem Mary em casamento. Outro importante personagem a ser mencionado agora, é Dave Gray, irmão de John Gray os quais não mantém bom relacionamento, sendo que da família de John, o único membro que possui certa estima aos olhos de Dave, é a jovem Mary. Porém, ainda no primeiro capítulo, descobriremos que Dave Gray e Hugh Gregory também não mantêm um bom relacionamento, por motivos citados no livro.

No segundo capítulo, já devemos prestar atenção em algo importante. Era quase oito horas da manhã quando o reverendo John Hurley vai à casa de John Gray, portando boas noticias. Resumidamente, em uma conversa com o filho do reverendo, Dave Gray mencionou sobre seu testamento feito há um ano, onde deixará toda sua fortuna a jovem sobrinha Mary. Rapidamente, após uma breve reflexão sobre a noticia, John Gray anuncia a família que, quando Hugh Gregory viesse buscar a resposta sobre a aceitação do casamento, era para que Mary dissesse não, pois não se casariam mais, caso ela não o dissesse, ele mesmo o faria. Assustadas e aflitas, Sally e Mary ficam espantadas diante da noticia dita a pouco, porém John perdido em seus pensamentos saiu para uma caminhada na neve seguindo direto para a pradaria.

É neste momento que começa então a trama, próximo ao final do segundo capítulo, John Gray em meio a sua caminha, se depara com uma imagem anormal, um jovem rapaz estirado ao chão na neve, sem cavalos ou qualquer meio que o transportasse ali. Os detalhes desse importante encontro são os que encerram o segundo capítulo, é dito aqui apenas que após a cena anterior, John Gray leva o jovem estrangeiro para descansar em sua casa, e o deixa aos cuidados de Mary, Sally e o médico do vilarejo.

Pulamos para seis meses e começamos o terceiro capítulo, entre Dave e John nada havia mudado, mesmo com os esforços do reverendo para reatar os laços familiares. Mary que ainda amava Hugh permitiu-se uma escapadela para ter uma conversa a sós com seu amado, confessou o que ainda sentia, trocaram retratos e madeixas de cabelo, porém, mesmo que se vissem, trocavam apenas olhares, pois não se falariam mais. E o estrangeiro, agora conquistava o povoado, estabelecera-se como professor de idiomas e música e tornara-se visitante freqüente na residência de John Gray. Agora chamado de George Wayne, o estrangeiro soube cativar a todos. As coisas mudam, quando em uma conversa prontos para dormir, Sally Gray conta a seu marido sobre uma conversa que teve com George Wayne.

O conteúdo desta conversa é outro momento importante do livro, pois e graças a isso que John Gray resolve incentivar um casamento entre sua filha Mary e o jovem Wayne.

Passasse capítulos e chegamos à outra parte interessante. Em um determinado capítulo, um breve desentendimento entre Hugh Gregory e Dave Gray, presenciados por George Wayne e vários outros andantes. Irá mudar definitivamente a trama.

Resumidamente lhes digo que, a partir desse momento, a situação fica complicada para o jovem Hugh Gregory, pois certo dia Dave Gray fora assassinado e o jovem preso, todas as evidencias apontavam para Hugh que sem ter meios de evitá-las usava apenas de suas palavras para defender sua inocência, todos do vilarejo acreditavam em sua culpa, apenas Mary chegou a desconfiar que o amado fosse capaz disto. Embora, essa certeza durou pouco, pois Mary se rendeu a dúvida e começou a aceitar o fato de que talvez Hugh fosse sim o culpado pela morte do seu tio. Mesmo tendo isso ocorrido, a jovem não perdera o amor que sentia pelo rapaz, o sentia intacto dentro de seu peito, o que não a impediu de aceitar casar-se com George Wayne. O casamento foi marcado e o veredicto de culpado, fez-se marcar a data do enforcamento de Hugh, coincidentemente ambas as datas eram as mesmas, 29 de junho, o dia em que se casaria um e morreria o outro. Devido a uma reviravolta na história, houve realmente um casamento, um assassinato, porém o mistério de quem se casou, e quem assassinou o velho Dave, estão espalhados pelos capítulos do livro.

Ao meu ver,  o inicio do livro não é algo que prenda total atenção do leitor, por ser meio vago e rápido. A medida em que se passa os capítulos podemos criar um certo interesse, devido a curiosidade em saber como realmente foi a morte de Dave Gray. E, a partir desse momento, a história fica realmente interessante… Recomend0-a para aqueles que gostam de mistério e possuem paciencia em esperar o desenrolar da história.

Samuel Langhorne Clemens mais conhecido como Mark Twain, nascido na Florida, Missouri, 30 de novembro de 1835. Foi um escritor e humorista norte-amaricano. É mais conhecido pelos romances The Adventures of Tom Sawyer (1876) e sua seqüência Adventures of Huckleberry Finn (1885), este último freqüentemente chamado de “O Maior Romance Americano”.

Jaiara de Assis

The following two tabs change content below.

Jaiara de Assis

Últimas Postagens de Jaiara de Assis (Ver todas as publicações)

Quer receber nossas atualizações por e-mail?

Nós podemos ajudá-lo a escolher sua próxima leitura.

Categoria: Literatura Juvenil

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *