Uma História Meio que Engraçada, de Ned Vizzini

| 18 de outubro de 2016 | 0 Comentários

Uma história meio  que engraçadaCraig Gilner é um adoloscente de quinze anos, educado e inteligente e que pensa demais. Craig sabe que a vida de adulto não é nada fácil, e que apenas os melhores terão um bom futuro. Foi por isso que ele se esforçou bastante para entrar na escola Executive Pre-Profissional High School em Nova Iorque, deixando pra trás até mesmo a convivência com os amigos, tudo o que Craig fez foi estudar. Foi enquanto se preparava para a escola que ele conheceu Aaron seu novo melhor amigo, com quem Craig se sente muito próximo e acredita se entendem só com o olhar. O momento em que ele foi aprovado se tornou o seu último momento de triunfo.

Após entrar na escola, Craig se sentiu muito pressionado e as coisas pioraram tanto que ele foi diagnosticado com depressão. Ele tentou levar as coisas por um tempo, tomando remédios e evitando os “tentáculos” que o perseguiam, no entanto, chega o dia em que a única saída que ele vê é o suicídio. Como um último esforço ele liga pra uma central de ajuda e acaba se internando por conta própria em um hospital psiquiátrico, onde de alguma forma ele acaba na ala dos adultos. Lá ele encontra pessoas de todos os tipos, com histórias de vida marcantes. Craig vai perceber a partir dessa experiência que no mundo real pode haver muitas dificuldades, mas também que também a fontes de muitas alegrias.

Uma história meio que engraçada é o livro que baseia o filme “ Se enlouquecer, não se apaixone”. A leitura é tão fácil e viciante que não consegui largar o livro enquanto não terminei. Tem muito humor, uma boa dose de realidade e o Craig é muito ingênuo. É divertido ver ele crescendo ao longo da história. Os diálogos são simples e diretos, tudo é dito de uma forma muito franca.

Nota: 4/5

The following two tabs change content below.

Emanuela de Oliveira

Refugiada para sempre no mundo dos livros. Porque uma vida só não basta! Ler sempre foi um exercício encantador para mim, ainda lembro da primeira vez que consegui juntar as letrinhas e formar as palavras,e em seguida frases, fiquei tão contente que nunca mais parei. Amo a sensação de entrar na pele dos personagens e “viver” situações tão diferentes do meu cotidiano, gosto dessa coisa de aprender sem ter que passar pela situação realmente. Divido meu tempo livre entre leitura, animes, filmes e doramas. Se a história da minha vida fosse um livro, gostaria que fosse escrito pela Marian Keyes.

Últimas Postagens de Emanuela de Oliveira (Ver todas as publicações)

Quer receber nossas atualizações por e-mail?

Nós podemos ajudá-lo a escolher sua próxima leitura.

Categoria: Ficção, Literatura Juvenil, Ned Vizzini, Romance

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *