Anna e o beijo francês, de Stephanie Perkins

15 de maio de 2015 | Por | Resposta Mais

Capa Anna e o beijo francesAnna tem apenas dezessete anos e foi enviada pelo pai (que é um escritor estilo Nikolas Sparks) contra a sua vontade, para estudar num colégio interno na França, esse pode ser o sonho de qualquer garota, mas não o de Anna que tudo o que quer é passar mais tempo com sua amiga Bridgette e tentar engatar um romance com um carinha. Chegando na França ela acha que vai ter o pior ano da sua vida, mas quando conhece Étiene St. Clair, um francês com sotaque inglês ( e um cabelo maravilhoso), as coisas começam mudar.

Assim como todas as garotas do colégio interno, Anna também sente o elevador na barriga quanto St. Clair olha pra ela. E ele olha muito. Com o tempo eles acabam ficando muito amigos, mas nada de acontecer algo mais comprometedor (estilo da Perkins). No entanto todos os acontecimentos rumam para que isso ocorra. Anna tem que lidar com o problema de sua amiga Mer ser apaixonada pelo cativante St. Clair e seu amor secreto por ele. Entre encontros e desencontros pelas ruas de Paris eles acabam se descobrindo apaixonados um pelo o outro.

Anna e o Beijo Francês  é um livro bem a cara de Stephanie Perkins, cheio de dramas adolescentes que pode ser engraçados ou antipáticos, dependendo do seu humor (você leitor), e de personagens extremamente cativantes, daqueles que você fica torcendo o tempo todo para que eles se dêem bem. Assim como fica  torcendo para que os vilões tropecem na linha das suas maldades.

É possível aprender um pouco de história (pelo menos francesa) nesse livro. E também “visualizar” com mais detalhes a paisagem de Paris.

É um livro inocente, com uma leitura rápida e fácil, e para os mais experimentados pode parecer bastante clichê. Eu particularmente achei uma boa história e bastante recomendável.

Nota: 4/5.

VEJA TAMBÉM

Um Caso Perdido , de Colleen Hoover Passei aproximadamente 30 minutos pensando como começar essa resenha, sinceramente nem ao menos sabia de que livro ela seria, e fiquei assim parada ... Sem ter nada para escrever, a seta lá piscando esperando eu escrever ao menos uma palavra, foi quando me deu conta que precisava escrever sobre al...
Jerusalém, de Gonçalo M. Tavares “Jerusalém é um grande livro, que pertence à grande literatura ocidental. Gonçalo M. Tavares não tem o direito de escrever tão bem apenas aos 35 anos: dá vontade de lhe bater!” - José Saramago ao entregar o Prêmio Saramago ao melhor romance de 2005.
Iracema, de José de Alencar Quem não conhece o grande clássico da literatura nacional? Iracema pinta a história de uma jovem índia, que representa o povo brasileiro apaixonada pelo colonizador português. Iracema não é apenas um romance, mas tem um significado simbólico capaz de contar a história do nascimento de uma nação des...
The following two tabs change content below.

Emanuela de Oliveira

Refugiada para sempre no mundo dos livros. Porque uma vida só não basta! Ler sempre foi um exercício encantador para mim, ainda lembro da primeira vez que consegui juntar as letrinhas e formar as palavras,e em seguida frases, fiquei tão contente que nunca mais parei. Amo a sensação de entrar na pele dos personagens e “viver” situações tão diferentes do meu cotidiano, gosto dessa coisa de aprender sem ter que passar pela situação realmente. Divido meu tempo livre entre leitura, animes, filmes e doramas. Se a história da minha vida fosse um livro, gostaria que fosse escrito pela Marian Keyes.

Últimas Postagens de Emanuela de Oliveira (Ver todas as publicações)

Quer receber nossas atualizações por e-mail?

Nós podemos ajudá-lo a escolher sua próxima leitura.

Categoria: Romance, Stephanie Perkins

Sobre o autor ()

Refugiada para sempre no mundo dos livros. Porque uma vida só não basta! Ler sempre foi um exercício encantador para mim, ainda lembro da primeira vez que consegui juntar as letrinhas e formar as palavras,e em seguida frases, fiquei tão contente que nunca mais parei. Amo a sensação de entrar na pele dos personagens e “viver” situações tão diferentes do meu cotidiano, gosto dessa coisa de aprender sem ter que passar pela situação realmente. Divido meu tempo livre entre leitura, animes, filmes e doramas. Se a história da minha vida fosse um livro, gostaria que fosse escrito pela Marian Keyes.

Deixe um Comentário